a minha avó Felicidade 

Alentejo, 1960.

Apesar da ditadura vivida em Portugal, são as memórias doces duma infância feliz que resistem. Partilhada por tantas crianças, esta história é uma bela homenagem às avós que protegeram e alimentaram o imaginário dos pais e dos avós dos nossos dias.

p'la trupe (quase) cénica da Felicidade

TEXTO  Carlos Canhoto   ENCENAÇÃO & INTERPRETAÇÃO Luís Capucha Tatiane Afonso  Andreia Valente  CENOGRAFIA grão de pó

© 2016 by grãodepó @ Wix.com

  • White Google+ Icon
  • Twitter Clean
  • Facebook Clean
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now